Mindwise – Nicholas Epley

MindwiseAssim como o livro anterior que revisei, este é mais um texto na área de psicologia sugerido pela revista Science. Mas as semelhanças terminam aqui. Mindwise é sobre leitura da mente, intuição, ou como percebemos o que as outras pessoas pensam e sentem.  Não é um texto raso, não traz receitas prontas, muito menos trata de um tema paranormal. A leitura da mente analisada aqui baseia-se em experimentos de psicologia comportamental com métodos científicos. É uma capacidade nata dos seres humanos ao ponto de uma região do nosso cérebro, o cortex pré-frontal medial, ser especializada nesta função.

O autor, Nicholas Epley, escreve numa linguagem clara e acessível. Ele destaca que leituras de mente incorretas podem causar desde desavenças interpessoais até confrontos entre nações. O maior problema é que estamos equivocados na maioria das vezes em que acreditamos compreender o que outra pessoa pensa ou sente. Ignoramos o contexto, a condição e a formação em que cada pessoa, cada mente, está imersa, mesmo nas pessoas mais próximas.

Epley primeiro aponta a desumanização de pessoas distantes e a antropomorfização de objetos inanimados como traidores da nossa intuição. Quem nunca achou que outro motorista que dirigia (muito) mais rápido no trânsito era um animal irracional?

Erros de inferência na leitura de mentes também são comuns. Costumamos egocentradamente supor ou projetar que parte de nossos pensamentos e crenças também estão presentes na mente dos outros. Epley mostra que cada pessoa enxerga o mundo pela sua própria lente. Também usamos estereótipos e classificações para intuir o que certas pessoas pensam. Embora úteis, os estereótipos são muitas vezes abusados. É comum inferirmos uma moral ou um comportamento aos outros a partir de ações isoladas que observamos sem compreender totalmente os contextos de tais ações.

A discussão ao longo de todo livro é interessante e objetiva. A seção de notas é rica na descrição de experimentos. Mas Epley conclui o livro de forma um tanto óbvia: a melhor maneira de entender o que outra pessoa pensa e sente é simplesmente perguntar a ela e conversar a respeito transparentemente.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>