Minha proteína de membrana – 2017

Vejam abaixo uma lista de proteínas de membrana e de artigos associados. Cada dupla de alunos deverá preparar um relatório crítico na forma de um website que será publicado aqui, explicando o(s) resultado(s) principal(is) do artigo com suas próprias palavras.

O relatório deverá começar com o título e os nomes dos autores do artigo e conter uma breve introdução (max. 1 parágrafo) descrevendo a função da sua proteína de membrana. Em seguida, a estrutura geral da proteína deve ser descrita e analisada (max. 2 parágrafos), com atenção às interações com lipídeos. As técnicas envolvidas, suas qualidades e limitações também devem ser descritas sucintamente (max. 1 parágrafo). Esta parte, limitada a 4 parágrafos no máximo, será a introdução e a descrição da metodologia do seu trabalho. O restante do relatório deverá explicar detalhadamente a pergunta respondida ou o fenômeno estudado no artigo, sem limite de parágrafos.

Assim, o relatório não deve ser uma cópia ou tradução do artigo. Tente analisar criticamente o problema proposto e os resultados obtidos. Apenas figuras e tabelas (se houverem) podem ser copiadas do artigo.

Espera-se que o relatório sirva como guia para seus colegas compreenderem os resultados apresentados em cada artigo e para catalisar uma discussão sobre os mesmos.

Notem as datas importantes dadas no calendário entregue em sala para:

  • Enviar por escrito um esquema simples (1 página) descrevendo os tópicos que pretende abordar no relatório. Indique claramente qual(is) o(s) principal(is) resultado(s) do paper;
  • Apresentar por 15 minutos o website com o relatório da sua proteína de membrana aos colegas;
  • Fazer perguntas, respostas e discussões sobre cada proteína e relatório na seção de comentários criada em cada website.

Veja a lista das proteínas de membrana e dos artigos associados (9 artigos):

Notem que a seção “Supporting” ou “Supplementary Information” (SI) encontrada em alguns artigos não faz parte do artigo principal, exceto pelas seções de Materiais e Métodos, que em alguns artigos são transferidas do texto principal. Estas informações suplementares (SI) são incluídas para explicar detalhes dos experimentos e resultados obtidos.

Proteínas de Ferro-enxofre

Postagem para reunir artigos e referências sobre proteínas de ferro-enxofre, além dos casos especiais da cadeia de transporte de elétrons mitocondrial, fotossíntese, etc.

  • Para quem ficou impressionado (eu fiquei!) com o “cabo” de 7 a 9 clusters de [FeS] presente no Complexo I, vejam esta enzima com 46 clusters [FeS]! A estrutura contém outras curiosidades como metais de tungstênio, canais para transporte de gases e hidratados, e grupos prostéticos incomuns! Alguém maluco o suficiente para modelar esta belezinha???
  • Estruturas cristalográficas de resolução ultra-aumentada permitem a “observação” de átomos de hidrogênio, pares eletrônicos e até, pasmen, densidade de carga de orbitais de fronteira de metais de transição. Vejam este artigo descrevendo uma proteína de [4Fe-4S] com resolução de 0.48 angstroms! Alguém interessado em construir um modelo híbrido QC/MM para esta proteína e verificar a precisão dos cálculos na reprodução da densidade de carga?